23/03/11

Eis que volta um mês depois para falar dos problemas da sua vidinha.

Pois bem. Morar numa casa com mais 39 raparigas não é pêra doce. Não mesmo!
Do nada surgem pequenos ataques de fúria, há intrigas por isto e por aquilo, mas o mais grave é que mediante algumas situações menos agradáveis as coisas têm vindo a agravar um bocadinho.
Acontece que certos bens materiais têm ganhado asas, assim do nada. Parece que há alguém que se diverte (e muito!) a mexer nas coisas das outras sem um devido aviso. E claro, gaja que é gaja faz logo festival, até porque não é uma vez nem outra, mas são dias e dias consecutivos e tudo coisas estapafurdias.
Há coisas que eu não percebo, e sinceramente não quero perceber. Eu para pedir algo aqui tenho quase que escrever uma declaração porque não gosto de andar a pedinchar (ou impingir como acontece muitas vezes) e por outro lado há outras que é uma alegria, 'o que é meu é meu, o que é teu é nosso' basicamente.
Não vou falar em suspeitas porque nem quero pensar nisso. Eu que chego a casa quase á uma da manha e não tenho a mínima pachorra para andar a brincar ás escondidas, depois de quase sete horas de aulas, já só vejo é cama à frente. Mas como é obvio não consigo deixar de ser indiferente porque também tenho olhos na cara e reparo em certos promenres que não são muito coerentes. Feitio.

3 comentários:

L• disse...

Tiros. Dá-lhes tiros. É um descanso =D

O Espreita Aviões disse...

Ofereço porrada porque estou a precisar de oferecer porrada.
É só contactares.

Leila Maria Margarida disse...

Ya, vou ali ao lado buscar as armas dos meus ''amigos'' Lili, remédio santo! :P